Suba outro dia, capítulo 315: O mar misterioso

(Concebendo um novo mapa, as atualizações nos últimos dias serão mais lentas.) Comparado com o navio na memória de Xu Ying – o navio que transportava três mil meninos e meninas voando pelo mar em busca de montanhas de fadas, o navio do Pavilhão Penglai é menor … Muitos, mas mais refinados. O barco tem o formato de um barco de construção, com um palácio na parte traseira do barco, um prédio de dois andares na frente e três velas, posicionadas no meio e na popa da proa. O navio que Xu Ying e Xu Fu pegaram era muitas vezes maior que isso. O navio tinha nove palácios e 12 andares. O palácio tinha três andares e o prédio tinha 16 andares, conectados por pontes cobertas. Existem centenas de quartos grandes e pequenos, e até mesmo as cabines têm quartos como pombais para as pessoas morarem. Existem centenas de velas, grandes e pequenas, e centenas de refinadores de Qi especializados em poderes sobrenaturais do tipo vento. Esse navio é uma cidade em movimento, navegando no vasto e imprevisível oceano, em busca de montanhas encantadoras. Xu Ying sempre teve algumas lembranças que não queria lembrar daquela passagem. Aquela seção da sala das escrituras estava cheia de intrigas e conflitos. Três mil meninos e meninas vieram de seitas diferentes, e lutas internas aconteciam constantemente. Até mesmo Xu Ying finalmente conspirou contra Xu Fu, deixando Xu Fu na montanha das fadas do abade e deixado sozinho . “Mestre Lin, posso pegar emprestado seu barco para ir ao mar e procurar Penglai Fairyland?”, Perguntou Xu Ying. Lin Tianhua hesitou por um momento, depois cerrou os dentes e disse: “O irmão Xu me ensinou o método ancestral e é gentil com os praticantes de Qi no mundo. Se eu disser que não vou pedir emprestado, terei vergonha de mim mesmo.” Além disso, também quero ir para o País das Maravilhas de Penglai!” Li Qi e Da Tong ouviram as palavras, sentindo-se envergonhados e envergonhados. Datong disse em seu coração: “Nós o tratamos assim, mas ele nos trata como amigos de vida ou morte, ele tem muita vergonha de me matar…

Deixe um comentário